i'm a poet.. i believe this world could be a better place..

I'm a poet. I believe this could be a better place..

19 março, 2008

Memórias (ex-texto de português, demasiado confuso xD)

Dou por mim a pensar de novo no que já passou…

Dou por mim a lembrar-me da minha vida, os caminhos de que já fugi ou mesmo procurei, os caminhos que percorri…

Tantos outros momentos pensei, e lembrei-me da curta e preenchida vida de uma borboleta, que agora chego a pensar no que pensei…

Mais uma vez a Lua nasce, e ao sentir os vestígios do Sol que se pôs, lembro-me do Sol que nasceu enquanto me pergunto…Quantas mais vezes a Lua e o Sol nos oferecerão a sua beleza? E quantas vezes já tiveram a bondade de se mostrarem? Teria de fazer contas de mais… Contas que a minha paciência não resiste a recusar.

E então continuo a viajar, permanecendo aqui e nunca tocando o chão.

A escuridão, o silêncio, tudo me acalma… Apenas um respirar profundo de um corpo presente e um espírito ausente. Estou bem. Então, subitamente, ergo as asas e volto a recuar para onde me puxam! As memórias invadem-me, consumindo-me com um fogo.

Memórias boas, memórias feias, memórias tímidas e memórias egoístas que teimam a não partir.

Por vezes é apenas como ler um livro, outras é como um pesadelo, um furacão que me prende, confunde e magoa. O ar é sugado a minha volta, sinto-me sufocar, sei que para que tudo se transforme em nevoeiro basta dizer “Não, viver isto uma vez é suficiente!”, no entanto nunca chego a pronunciar estas palavras mágicas. A razão? Bem…acho que afinal ninguém me puxa, sou eu que atraio as memórias para mim, simplesmente para expulsar as saudades ou porque por mais que me possam magoar, sem elas eu não seria Eu.

As recordações continuam a chegar, as primeiras fracas, as seguintes fortes. Apenas memórias de pequenas coisas, que no entanto deixam cicatrizes invisíveis. Como num espelho, onde apenas as cicatrizes visíveis, perdidas pelo meu corpo, aparecem.. apenas algumas tem as suas cicatrizes invisíveis, mas a origem da maioria não me marca, são apenas pequenas pedras no meu caminho.

Começou a chover, sinto-me como o chão, ora a ser torturado ora a ser acalmado, mas sempre sabendo que assim se mantêm vivo. Uma raiz vai crescendo dentro de mim, roubando a vida aos mais frágeis, enquanto se expande, para controlar tudo, e saber que não lhe roubarão o merecido espaço. As memórias menos importantes vão desaparecendo…

A chuva começa a acalmar, estico a mão e apenas uma ou outra gota tem a coragem de me atacar. Levo a mão a cara e reparo…Não me atacam, mas sim me dizem que tudo esta bem, tudo esta onde deve estar.

A Lua continua a brilhar no canto da minha janela e a chuva já foi dormir, não sei por quanto tempo, apenas sei que voltara, para me obrigar a abrir ou fechar os olhos, e me dizer que estou viva, quando eu menos esperar.

01 março, 2008

pan!ic at the disco-Lying is the most fun a girl can have without taking her clothes off

Ver


Eu vi-te
Tu viste-me
Era tudo tão perfeito
Eu não podia imaginar que ia a acabar desta maneira.

Tu viste-me
Mas apercebi-me
Tu apenas viste o que querias ver.

E eu vi-te
Mas apercebi-me
Apenas vi o que queria ver.

Tu viste-me
E pensaste que eu era aquele tipo de rapariga
Tudo porque disse que eras lindo.

E eu vi-te
Pensei que eras o rapaz perfeito
Tudo porque tu olhaste para mim sem me ver.

Mas agora é tarde
Tudo porque disse que eras tão lindo
Como pude não me aperceber?
As vezes era só um piscar de olhos,
A brilhante janela para a tua alma
A expressão na tua cara
Era suficiente
Eu pensava que me vias verdadeiramente
Eu pensava que percebia a tua mente.

Mas tudo o que eu sabia estava tão errado
Tudo o que eu pensava que sabia era tão falso.

Tu viste-me
Eu vi-te
Era tudo tão perfeito
Como pode acabar desta maneira?

Mas está tudo bem
Agora encaramos
Tu foste uma desilusão
Eu fui uma miragem, bem longe de ti
Nós fomos uma mentira tão perfeita com todas as suas imperfeições
Tão falsa, tão linda.

Mas está tudo bem
Eu não mudava nada
O tempo passa
E eu continuo a acreditar que não há nada que eu pudesse fazer,
A não ser dar um passo atrás e dizer:
Quero saber se és tão lindo por dentro como penso que és por fora.

Mas está tudo bem
Não há problema
Eu pensei que te vi
Tu pensas-te que me viste
Não havia nada que pudéssemos fazer
Sem ser esperar que acabasse desta maneira.